BLOG'S: * PhiloSophia

domingo, 14 de dezembro de 2008

Sabedoria libertadora

Pensamos e agimos no nosso cotidiano como se fôssemos o centro do planeta, o rei do cosmos, tendo como súditos todos os demais seres vivos e à nossa pueril disposição os recursos ambientais existentes. A vontade de dominação e o sistema que escolhemos para (sobre)viver em sociedade, nos leva a agir com violência e maldade contra a vida e a natureza. Este tipo de comportamento tem criado todo o tipo de desequilíbrio: o ambiental, o social e o mental.
Para que possamos brecar a queda ao caos que este tipo de comportamento tem nos levado, é necessário, antes de tudo, nos conscientizarmos que ninguém nem algo é maior nem independente. Nem os maiores egos "narcisianos", se pensarem racionalmente, chegarão a outra conclusão senão a da necessidade de mudança. Eles, como nós, já sabem que toda a ação vem precedida de uma reação: boa ou má. A natureza e o cosmos têm sobejamente nos ensinado e provado a verdade desta lei.
Se quisermos viver e deixar que o mundo viva com mais dignidade, é necessário sair da superficialidade dos nossos sentimentos, nos "afastarmos" dos nossos umbigos e reaprendermos a tratar com mais sensibilidade, responsabilidade e respeito os demais seres vivos e os recursos que a natureza nos dá. É necessário que, ao invés de apoiarmos e admirarmos, em nós e nos outros, os resultados que são obtidos através da “esperteza”, da ganância, do egoísmo, do comodismo, da preguiça, da traição, da falta de escrúpulos, da violência e da escravidão mental, apoiemos e valorizemos, através de uma postura sábia e libertadora, virtudes como honestidade, respeito e ética.
Cabe a cada um de nós, Homo Sapiens, decidir como agir e se responsabilizar, com esta e com as futuras gerações, pela atitude que tomarmos.

Um comentário:

jbandero disse...

Na verdade a natureza está nos dando inúmeros "avisos", e ainda assim não consegue sensibilizar a população e nem os "donos" do poder, que deixarão toneladas de moedas para seus herdeiros comerem, pois o mundo está se consumindo vigorosamente e rapidamente com a população gerando cada vez mais lixo ao satisfazer a ordem da supremacia de consumir, independentemente de classe social